Qual o aspersor certo para regar o seu relvado

Média: 4.2 (10 votos)
Aspersor certo para regar o seu relvado

A morfologia de um terreno pode exigir diferentes tipos de sistemas de aspersão para regar um relvado de uma forma global e eficiente. Nesse sentido, saiba qual é o aspersor mais apropriado para regar o seu relvado e escolha aquele que lhe garante uma irrigação plena e abrangente de todas as partes do seu jardim.

O tipo de solo de um relvado, o tamanho da área a ser regada e a quantidade de saturação da relva são fatores que desempenham um papel preponderante na escolha de um sistema de aspersão. Para escolher o melhor aspersor para regar o seu relvado, é fundamental conhecer os sistemas de aspersão principais que estão disponíveis no mercado. Dos mais conhecidos e utilizados, destacam-se os seguintes:

Os sistemas de aspersão de spray

Os sistemas de aspersão de spray são os ideais para serem utilizados em espaços pequenos que necessitam de uma grande concentração de água num curto espaço de tempo, como por exemplo os canteiros de flores, arbustos ou relva. A percentagem da saída de água dos aspersores de spray varia muito de sistema para sistema, mas em média sai cerca de 4 a 4,5 centilitros por hora. Existem dois tipos de aspersores de spray:

Os do tipo pop-up: trata-se de um sistema instalado debaixo da terra que é ligado através de um sistema de tubos. Quando chega a altura de regar um jardim, emerge do solo sob a pressão da água um pistão que vai distribuir a água de uma forma equitativa por todo o relvado. Quando a rega termina, o aspersor volta a ficar camuflado no relvado.

Os do tipo estacionário: abrangem os sistemas que não têm deslocamento dos aspersores durante o período de aplicação de água. Nestes sistemas, a igualdade da distribuição de água é influenciada por diversos fatores que podem ser, ou não, controlados pelo operador do sistema. Dos fatores controlados pelo operador, evidenciam-se os seguintes:

  • O tipo de aspersor selecionado;
  • A combinação de bocais existentes num aspersor;
  • A pressão do serviço;
  • O ângulo de lançamento do jato de água;
  • O espaçamento entre aspersores e a sua disposição em campo.

Por outro lado, os fatores que não são controlados pelo operador são:

  • A velocidade a que a água sai dos aspersores;
  • A direção do vento em relação à disposição dos aspersores.

É de destacar que os sistemas de aspersão de spray são mais eficazes nos terrenos planos e nos solos mais absorventes como os arenosos. Se não tiver escolha, a não ser a utilização de aspersores de spray para relvados mais montanhosos ou solos não absorventes como os de argila, é melhor colocar a água a correr num determinado ciclo para que ela seja absorvida em vez de desperdiçada.

Os sistemas de aspersão de rotor

Os sistemas de aspersão de rotor giram sobre si próprios e não possuem uma aplicação estática ou de ângulos fixos como os aspersores de spray. As cabeças de rotor são muito úteis para cobrir grandes áreas de relva, como campos relvados de futebol, parques públicos ou circuitos de golfe. A percentagem da saída de água dos aspersores de rotor é consideravelmente menor do que a dos aspersores de spray – uma média de 1,5 a 2 centilitros por hora. Os sistemas de aspersão de rotor estão classificados da seguinte forma:

Aspersores de rotor de impacto: este é um sistema giratório que é constituído por um braço oscilante. O girar do aspersor deve-se ao impacto do braço oscilante sobre o jato de água, o que permite regar toda uma área de uma forma equitativa. Este sistema é muito utilizado na agricultura.

Aspersores de rotor de engrenagens: este modelo gira graças ao efeito de uma turbina de engrenagem que se movimenta quando a água passa por ele, resultando na rotação do aspersor. Este é um dos aspersores de rotor mais populares e utilizados em todo o mundo.

Aspersores de rotor de esferas: este modelo tem um funcionamento muito parecido com o de engrenagens, mas com a particularidade de utilizar esferas que se movimentam quando a água passa por elas, o que possibilita a rotação do aspersor.

Os sistemas de aspersão de gotejamento

Os sistemas de aspersão de gotejamento são normalmente utilizados para assegurar que a rega é feita para algumas plantas específicas ou em determinadas áreas de cultivo. A percentagem da saída de água dos aspersores de gotejamento varia muito – em média cerca de 2 a 90 litros de água por hora. Os sistemas de gotejamento têm a forma de tubos ou mangueiras com pequenos furos através dos quais a água é vertida diretamente para o solo. É de realçar que os sistemas de aspersão de gotejamento têm duas vantagens distintas em relação aos demais. São elas:

A configuração do aspersor: pode configurá-lo para regar uma área inteira ou apenas uma parte específica, como por exemplo, um canteiro de flores ou a plantação de um determinado vegetal.

O aproveitar de toda a água na irrigação: com este sistema de aspersão não existe espaço para o desperdício de água, uma vez que esta é colocada diretamente na terra, ao contrário dos aspersores de spray ou de rotor que acabam por regar os passeios de um jardim ou até mesmo as pessoas que lá possam estar.

Média: 4.2 (10 votos)