Jardins Botânicos: história e lista dos locais

Média: 4.6 (17 votos)
jardim botânico

Qualquer apaixonado por jardinagem, botânica ou pela natureza em geral tem nos jardins botânicos um autêntico regozijo. Muito mais do que um vulgar jardim, neles encontrará um verdadeiro santuário do mundo natural, onde poderá observar uma enorme variedade de espécies, muitas delas raras, nalguns casos em vias de extinção, e de uma beleza invulgar. Além disso poderá ainda comprar novos espécimes para o seu próprio jardim, já que muitas destas instituições também têm um sector de venda ao público.

Os jardins botânicos estão habitualmente localizados nos grandes centros urbanos, funcionando até como um pulmão no meio da poluição citadina. Têm como principal objectivo a conservação e divulgação de espécies botânicas de todo o mundo, ao mesmo tempo que poderão incluir também uma secção de investigação científica, dedicada ao estudo e manutenção dessas mesmas espécies – é por esse mesmo motivo que muitos dos jardins deste tipo fazem parte de Universidades e Institutos Superiores.

Dependendo do tipo de espécies que integram, incluem ainda diversas estufas, o que permite o cultivo de espécies provenientes de zonas com características climáticas bastante diferentes do local onde se encontram.

Na verdade, foi precisamente por esse motivo que nasceram os primeiros jardins botânicos: a importação e posterior cultivo de espécies de climas diferentes, na altura com vista ao comércio. Os registos mais antigos apontam para um jardim criado com essa finalidade há 3 mil anos atrás, no Antigo Egipto! O comércio de especiarias motivava a criação de condições especiais, e com o tempo foram-se aperfeiçoando plantações e estufas que séculos mais tarde viriam a inspirar a criação dos jardins botânicos como hoje os conhecemos.

Foi a partir de Itália, em pleno Renascimento, que nasceu o primeiro jardim botânico com características actuais: o Orto botanico di Pisa, fundado em 1544 e de portas abertas ainda hoje, no seu máximo esplendor!

Em Portugal, o jardim botânico mais antigo – o Jardim Botânico da Ajuda – data de 1768, seguido do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, criado quatro anos depois. Tanto um como o outro são ainda hoje dos principais jardins do país, a par do Jardim Botânico de Lisboa e do Porto, fundados respectivamente em 1878 e 1951 (data oficial, mas os jardins já existiam décadas antes).

Qualquer um deles inclui milhares de espécies provenientes dos cinco continentes, e são a garantia de um dia muito bem passado.

No Brasil, os jardins botânicos são mais recentes, mas a oferta é bem mais ampla, com perto de trinta jardins um pouco por todo o país. O principal, e também o mais antigo, é indubitavelmente o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, com mais de 6500 espécies e a maior biblioteca de botânica brasileira.

Se nunca experimentou visitar um jardim botânico, fica desde já a viva recomendação que o faça. Passear por entre espécies exóticas e distantes, ouvindo nada mais que o vento a correr por entre as árvores enquanto respira um ar puro cada vez mais raro. É uma sensação única que não o deixará indiferente.

Se por outro lado já se deixou conquistar, apresentamos agora o conjunto de jardins botânicos existentes em Portugal e no Brasil, para que possa partir à descoberta de novos encantos do mundo natural.

Jardins Botânicos em Portugal

Mapa dinâmico dos locais dos jardins botânicos em Portugal:

Ver mapa maior

Jardins Botânicos no Brasil

Mapa dinâmico dos locais dos jardins botânicos no Brasil:

Ver mapa maior 

Média: 4.6 (17 votos)