Tipos de relva que não necessitam de manutenção

Média: 3.1 (14 votos)

Para escolher o melhor relvado para um jardim, deve conhecer as condições climatéricas que se fazem sentir numa determinada localidade e qual o tipo de relva que melhor se adapta a essa região. Existem relvados que conseguem viver sob chuvas fortes e tipos de relva específicos que necessitam de pouca ou nenhuma manutenção para estarem sempre radiantes. Saiba quais são e em que zonas é que eles se encontram.

A relva Poa

A Poa é um tipo de relva específico que tem inúmeras variedades associadas. Das principais, destacam-se as seguintes:

Relva azul (Bouteloua gracilis)

Trata-se de um tipo de relva que se dá bem nas regiões mais áridas e desertas. Tem folhas lineares, estreitas e macias e apresenta uma coloração verde escura azulada. A sua relva cresce cerca de 30 a 60 centímetros de altura, é muito resistente e tem um ótimo acabamento. Este tipo de relva precisa de muito sol e pouca água para estar sempre deslumbrante.

Hachita

É também um tipo de relva que prospera nos solos mais arenosos e argilosos. Ela combina bem com as plantas perenes e nativas e, se não for cortada, pode tornar-se uma relva artificial curta de pradaria.

Capim búfalo (Buchloe dactyloides)

É uma planta anual, ereta, com colmos ascendentes que atingem cerca de 1 a 1,5 metros de altura. Este tipo de relva apresenta uma coloração cinza esverdeada no verão e cor de palha no inverno. Esta relva adapta-se melhor aos locais semi-áridos, semi-húmidos e às regiões subtropicais. Devido à sua facilidade de estabelecimento e alta resistência, ela é usada com sucesso na recuperação de áreas degradadas. É de realçar que o Capim búfalo tem outras variedades de relva como: o Legado, o Prestige, o Bowie e o UC Verde.

A relva Festuca

É um tipo de relva que engloba cerca de 100 espécies perenes distintas. Ela pertence à família das Poaceae ou Gramineae e dá-se melhor nas regiões temperadas e frias do hemisfério norte. Trata-se de uma relva com folhas lisas e largas, é cultivada principalmente na Europa e América do Norte para pasto permanente e é muito utilizada nas misturas que constituem os relvados. Das inúmeras variedades que a compõem, destacam-se as seguintes:

Festuca vermelha

É uma espécie de relva encontrada em todo o mundo e é conhecida pela sua tolerância e resistência às más condições climatéricas. Ela é perene e tem subespécies de formas que têm rizomas e formas de tufos. Trata-se de um tipo de relva que cresce cerca de 90 centímetros de altura e dá-se bem em solos neutros e ácidos. Esta planta precisa apenas de estar num local com uma boa exposição solar ou sombra parcial para se desenvolver de uma forma correta.

Festuca vermelha Commutata

É um tipo de relva muito comum nos gramados de toda a Europa. É uma planta perene que não tem nenhum rizoma, apresenta folhas filamentosas e uma elevada densidade de brotos. Ao utilizar commutata em misturas, é necessário juntar outros tipos de festuca com rizomas, para facilitar o conserto de possíveis aberturas na relva. A Festuca rubra Commutata é muito resistente ao inverno e é um dos tipos de relva mais utilizados nos campos de golfe. A sua manutenção exige apenas uma rega moderada e um local com boa exposição solar ou sombra parcial.

A relva de tufos de cabelo

Este tipo de relva é oriundo dos Estados Unidos da América (EUA) e é muito conhecida e encontrada nas zonas costeiras. Esta espécie tem diversas variedades associadas, como por exemplo:

Relva de tufos de cabelo (Deschampsia cespitosa)

É uma planta perene que pode ser encontrada em todos os tipos de pastagens, embora prefira solos mal drenados. Ela pode crescer até 1,5 metros de altura, produz grupos de folhas verdes e podem ser encontradas até 1200 metros de altitude. Este tipo de relva pode crescer em prados húmidos e necessita de estar num local sob pleno sol ou sombra parcial.

Relva de tufos de cabelo do Pacífico (Deschampsia cespitosa holciformis)

É nativa da Colúmbia Britânica e a sua oferta estende-se até à baía de Monterey. Ela cresce cerca de 30 a 60 centímetros de altura, produz muitos grupos de folhas verdes escuras e as suas inflorescências são estreitas e cor de palha. Para que este tipo de relva tenha uma aparência saudável, é fundamental que esteja sob pleno sol ou sombra parcial e tenha muita água.

O controlo das ervas daninhas

A relva Poa é um tipo de relva que, geralmente, cresce muito lentamente e nunca chega a ficar muito grande e isso atrai o aparecimento das ervas daninhas. Para que isso não se suceda e para preservar a saúde do seu relvado, deve seguir os passos seguintes:

Plantar torrões de relva: a plantação de torrões de relva acaba por abafar e impedir o crescimento das ervas daninhas, uma vez que elas não têm espaço para aparecer.

Colocar topsoil no terreno: Antes de plantar a relva, é preciso colocar no terreno uma mistura de areia e matéria orgânica, denominada de topsoil. A areia favorece a drenagem de água e a matéria orgânica ajuda a fixar as raízes. Esta é também uma boa técnica para fertilizar corretamente a terra de um jardim.

Aplicar um herbicida pre-emergente: Um herbicida pre-emergente deve ser utilizado quando as plantas daninhas ainda não tiverem sido germinadas. O herbicida cria uma barreira em torno das sementes não germinadas, sufoca-as e impede-as de crescer. O solo não deve ser arejado antes ou depois de aplicar o herbicida, pois o ar pode fragmentar a barreira e tornar o herbicida inútil.

Média: 3.1 (14 votos)