As melhores flores perenes para o seu jardim

Média: 4.3 (28 votos)

As plantas perenes são as ideais para serem cultivadas num jardim e isso deve-se à longevidade e à beleza das suas folhas e flores principais. As plantas e flores perenes podem viver mais de dois anos, isto é, mais de dois ciclos sazonais sem que as suas folhas caiam. Dessa forma, conheça quais são as melhores flores perenes para o seu jardim e faça com que ele se mantenha sempre florido e encantador.

Astromélia

A Astromélia é também conhecida como lírio peruviano ou madressilva brasileira e pertence à família das Alstroemeriaceae. Tratam-se de flores que são muito parecidas com os lírios, pois têm diversas cores e são muito utilizadas na preparação de bouquets e centros de mesa. A Astromélia é uma flor que se dá bem em solos férteis e bem drenados e, como tal, é necessário que sejam corretamente fertilizados. Esta planta pode atingir cerca de 60 a 90 centímetros de altura e necessita de ser cultivada sob pleno sol ou meia sombra para que possa crescer de uma maneira saudável.

Áster

A Áster é uma flor delicada e ultra resistente que tem mais de 600 espécies distintas. Tratam-se de flores exclusivas com tonalidades brancas, azuis, vermelhas, rosas, roxas e todas elas apresentam um centro amarelo. A Áster é uma das plantas híbridas mais populares, uma vez que resulta da combinação entre os grandes ásters italianos e o longo florescimento dos ásters dos Himalaias e, como tal, podem crescer até cerca de 60 centímetros de altura.

Nêveda (Nepeta Faassenii)

A Nêveda é uma planta silvestre que pertence à família Labiatae, a mesma das hortelãs e urtigas. Trata-se de uma planta que tem uma raiz perene, ostenta caules quadrados, eretos e ramificados e pode atingir cerca de 1 a 1,5 metros de altura. Esta é uma flor que apresenta folhas dentadas em forma de coração e, usualmente, floresce no final da primavera e no início do verão.

Flor de cone

A Flor de Cone (equinácea) é uma perene duradoira que regressa todos os anos para colorir e dar brilho a um jardim na estação do verão. Trata-se de um tipo de flor que se destaca por ser muito tolerante à seca e por ser de baixa manutenção. As flores de cone apresentam uma grande variedade de cores como o rosa, laranja, branco e amarelo e podem atingir cerca de 60 centímetros de altura.

Coreópsis (Punch Mango)

A Coreópsis é também conhecida como margarida amarela e pertence à família Asteraceae. Trata-se de uma flor que apresenta uma ramagem densa, com folhas espessas e uma pigmentação verde vibrante. As pétalas que esta flor apresenta são expandidas, amarelas e têm bordas dentadas. A Coreópsis (Punch Mango) deve ser cultivada numa terra fértil e rica em nutrientes e, apesar de ser uma planta perene, requer duas replantações por ano.

Trovisco (Euphorbia characias wulfenii)

A Trovisco é uma planta que pertence à família Euphorbiaceae, que se distingue pela altura dos seus arbustos. Esta planta apresenta cerca de 1,5 metros de altura e um metro de largura, formando uma ramagem densa a partir da base da planta. Cada haste apresenta folhas verdes e azuladas e cada flor tem cerca de 5 a 7,5 centímetros de comprimento. A Trovisco deve ter uma exposição prolongado ao sol e deve ser regada com regularidade.

Miosótis (Não te esqueças de mim)

A Miosótis é também conhecida como “não te esqueças de mim” e é uma planta herbácea magnífica que apresenta flores azuis extraordinárias. As suas folhas e flores são aveludadas e apresentam um porte baixo e ramagem diversificada, com cerca de 30 a 40 centímetros de altura. A Miosótis deve estar estrategicamente colocada no seu jardim, para que recolha toda a luminosidade necessária para o seu crescimento. O solo onde estiver plantada deve estar o mais fértil possível e deve ser constantemente irrigado.

Gailárdia (Gaillardia x grandiflora)

A Gailárdia tem o nome científico de Gaillardia x grandiflora e pertence à família Asteraceae, a mesma das margaridas e dos girassóis. Existem cerca de 24 espécies diferentes de Gailárdias e quando estas se cruzam entre si, produzem-se excelentes híbridos para decorar um jardim. Por norma, as flores Gailárdias têm um centro vermelho ou roxo e extremidades amarelas e alaranjadas. Por outro lado, as folhas são alongadas e pilosas e o seu florescimento ocorre durante a estação da primavera e do verão.

Gaura lindheimeri

A Gaura lindheimeri é uma planta que pertence à família das Onagraceae. Trata-se de uma herbácea que apresenta cerca de 50 a 150 centímetros de altura, tem um caule denso e ramificado e desenvolve-se de um rizoma subterrâneo. As suas folhas são pilosas e ostentam 1 a 9 centímetros de altura e 1 a 13 centímetros de largura, com uma margem dentada espaçosa. A Gaura brota no início da primavera e o seu florescimento prolonga-se até às primeiras geadas de outono. Ela apresenta várias cores, desde o branco puro até ao rosa escuro e é por isso que é muito utilizada na ornamentação de um jardim.

Geum chiloense

A Geum chiloense é uma planta que pertence à família das Rosaceae. Trata-se de uma flor ornamental que é oriunda do Chile e apresenta uma cor amarela ou alaranjada. Elas florescem no início da primavera ou no outono e necessitam de um solo fértil e bem drenado para crescerem corretamente. A Geum chiloense distingue-se na paisagem de um jardim pela sua simplicidade e beleza exclusiva e apresenta uma altura média de 40 centímetros e uma largura de 60 centímetros.

Margarida amarela (Rudbeckia hirta)

A Margarida amarela tem o nome científico de Rudbeckia hirta e pertence à família das Asteraceae. Trata-se de uma planta muito vistosa e florífera e é por isso que é muito utilizada em grandes relvados. Ela floresce na primavera e no verão e produz inflorescências de coloração amarelo ouro, com um centro castanho e roxo. A sua folhagem é muito bonita e elegante e as folhas possuem bordas serrilhadas. A Margarida amarela deve ser cultivada em pleno sol em canteiros ricos em matéria orgânica e deve ser regada periodicamente.

Heuchera

A Heuchera é uma planta que pertence à família Saxifragaceae. Esta herbácea apresenta uma folhagem basal que cresce até 30 a 75 centímetros de altura e 45 centímetros de largura. Produz inflorescências de cor vermelha, branco ou rosa e as suas folhas são finas e franzinas com bordas recortadas ou lobadas. A Heuchera é uma planta que necessita de ser cultivada em pleno sol e em locais com sombra e, normalmente, apresenta um melhor desempenho num solo húmido, bem drenado e rico em húmus.

Sálvia de Jerusalém (Phlomis Fruticosa)

A Sálvia de Jerusalém tem o nome científico de Phlomis Fruticosa e pertence à família das Labiaceae. Trata-se de uma flor que está distribuída ao longo de toda a região mediterrânea e apresenta-se em locais abertos e muito quentes. É um arbusto que pode atingir cerca de 4 metros de altura e é muito popular devido ao seu perfume e à beleza das suas folhas e flores. A Sálvia de Jerusalém floresce na primavera e no verão e produz inflorescências de cor amarela, que se destacam na decoração e composição de um jardim.

Lavanda

A Lavanda é também conhecida como Alfazema e pertence à família das Lamiaceae. Existem várias espécies de Lavanda, como a lavanda inglesa, francesa e espanhola e todas elas desempenham um papel importante no embelezamento de um espaço. Elas apresentam folhas opostas, lineares ou lanceoladas e destacam-se por serem muito aromáticas. Esta planta apresenta flores azuis ou roxas com a forma de espiga e o seu florescimento ocorre na primavera. A Lavanda não é exigente quanto à fertilidade do solo, mas este deve ser muito bem drenado e receber uma exposição solar direta para que ela cresça de uma forma saudável e consistente.

Santolina (Santolina chamaecyparissus)

A Santolina tem o nome científico de Santolina chamaecyparissus e pertence à família das Asteraceae. Trata-se de uma planta arbustiva que é popular graças à sua cor dourada e aroma delicioso. É uma flor de baixas dimensões, que pode atingir cerca de 30 a 90 centímetros de altura e é muito ramificada. Ela floresce no verão e produz inflorescências de cor amarela com folhas cinzentas e pontiagudas. A Santolina é uma planta que necessita de uma exposição prolongada ao sol e dá-se melhor em solos arenosos e ricos em matéria orgânica. Deve ter em atenção que esta planta necessita de ser constantemente regada para florescer forte e saudável.

Pentstemon (Pentstemon Gloxinioides)

A Pentstemon tem o nome científico de Pentstemon Gloxinioides e pertence à família das Plantaginaceae. Trata-se de uma herbácea de ramos eretos e ramificados na base. As suas flores têm a forma de sino e apresentam-se em várias cores e tamanhos. Esta é uma planta que fica muito bem num canteiro de flores ou em vasos e é por isso que é muito apreciada pela maioria dos jardineiros. A Pentstemon deve ser cultivada em pleno sol, num solo fertilizado e fértil e deve ser regada de uma forma regular.

Sálvia ananás (Salvia Elegans)

A Sálvia ananás tem o nome científico de Salvia Elegans e é originária dos Estados Unidos da América (EUA), encontrando-se principalmente no México e Guatemala. Trata-se de um arbusto que floresce de Março a Maio e, em alguns casos, no final do outono. Ela cresce cerca de 1,2 a 1,5 metros de comprimento e apresenta raízes muito profundas. É uma planta que necessita de receber muito sol e dá-se melhor com um solo fértil e bem drenado. As folhas de Sálvia têm a particularidade de cheirarem a ananás e é por isso que esta flor é muito utilizada como aromatizante, na confeção dos mais variados doces, saladas e aperitivos.

Sálvia Leucantha

A Sálvia Leucantha é uma flor tropical que provém da região central dos EUA e pertence à família das Lamiaceae. Trata-se de uma planta vigorosa que possui uma inflorescência ramificada e a sua forma assemelha-se a uma espiga. É uma planta muito perfumada que apresenta várias cores, como o branco, vermelho, roxo, amarelo, entre outras, e isso faz toda a diferença na constituição de uma paisagem. A Sálvia Leucantha pode atingir cerca de 90 centímetros a 1,5 metros de comprimento e necessita de ser cultivada num solo fértil e arenoso.

Sedum Telephium

A Sedum Telephium é uma herbácea perene que pertence à família das Crassulaceae. Trata-se de uma planta que é muito colorida, tem flores pequenas e em forma de estrela. Esta flor apresenta cerca de 60 centímetros de altura e 60 centímetros a 1,2 metros de largura e exige um solo fértil e bem drenado para crescer corretamente.

Cardo Marítimo (Eryngium amethystinum)

O Cardo Marítimo tem o nome científico de Eryngium amethystinum e pertence à família das Apiaceae. Trata-se de uma planta que tem inúmeras espécies associadas e apresenta uma distribuição cosmopolita, geralmente em áreas rochosas e costeiras. Têm folhas espinhosas, com umbelas em forma de cúpula semelhantes às inflorescências dos cardos, com um verticilo de brácteas espinhosas basais. É de realçar que o Cardo Marítimo pode atingir cerca de 50 cm de altura e é muito apreciada pela sua folhagem exclusiva.

Créditos imagens: 1, 2,
3, 4,
5, 6, 7, 8,
9, 10,
11, 12, 13, 14,
15, 16,
17, 18, 19
Média: 4.3 (28 votos)