Como cuidar de orquídeas

Média: 3.9 (18 votos)

As orquídeas são flores exclusivas que são muito utilizadas na decoração de um jardim ou espaço interior. Saiba como cuidar de orquídeas e embeleze a sua casa ao longo de todo o ano.

Quais as melhores orquídeas para ter em casa

Existem várias espécies de orquídeas disponíveis no mercado, no entanto, uma das que melhor se adapta a uma casa é a phalaenopsis (orquídeas mariposa ou borboleta), que inclui variações como a tillandsia cyanea (bromélia) e o anthurium scherzerianum (antúrio). Estas orquídeas têm uma enorme variedade de cores, são de origem tropical e, como tal, desenvolvem raízes aéreas que lhes permitem crescer em cima de outras plantas, normalmente árvores ou arbustos. Devido à sua natureza, estas plantas estão habituadas a receber uma humidade aérea típica das regiões tropicais, contudo, isso não significa que se adaptem da melhor forma a um vaso ou jardim e à humidade através da rega comum. 

Como cuidar de orquídeas

A plantação de orquídeas deve ser realizada preferencialmente num vaso. No entanto, para que elas se desenvolvam e cresçam de uma forma saudável, é necessário cumprir com os aspetos seguintes:

A rega das orquídeas

A rega das orquídeas é uma tarefa de extrema importância no que ao seu cuidar diz respeito, uma vez que estas plantas não desenvolvem substratos húmidos. Dessa forma, é importante manter humedecido o composto onde elas estão plantadas e verificar se a drenagem está a ser corretamente efetuada, caso contrário, a planta pode adoecer e morrer.

Por norma, no verão, as orquídeas precisam de ser regadas uma vez por semana, preferencialmente no final da tarde ou no início da manhã. Ao passo que no inverno, é necessário deixar secar o composto entre regas. A água mais indicada para regar as orquídeas é a água da chuva ou a água que é previamente fervida e arrefecida.

Tenha em atenção que as orquídeas devem manter-se sempre com uma humidade alta, especialmente se existir um desumidificador ou radiador no local onde elas se encontram. Para saber se o substrato está húmido ou seco, basta colocar um dedo dentro da terra das orquídeas, com o intuito de ver se esta já se encontra pronta a ser regada.

A temperatura mais apropriada para o seu crescimento

As orquídeas são plantas específicas que necessitam de muita luz natural, no entanto, não devem ficar diretamente expostas ao sol para que as suas folhas não fiquem secas. Nesse sentido, o ideal passa por colocar uma orquídea numa janela virada para este ou oeste. Tenha em mente que as phalaenopsis e os antúrios devem ser mantidos acima dos 15 graus centígrados, preferencialmente nos 20 graus; e as bromélias devem estar a uma temperatura mínima de 12 graus centígrados. Quanto mais altas forem as temperaturas, maiores deverão ser os cuidados a ter com a rega e com o solo das orquídeas.

A poda das orquídeas

As orquídeas devem ser podadas com regularidade para que as plantas se mantenham sempre saudáveis e com um ótimo aspeto. Assim que a flor da orquídea phalaenopsis tiver florido, é necessário cortá-la acima do segundo ou terceiro nó a contar da base para estimular o crescimento de um segundo rebento. No caso das bromélias, é comum aparecerem novos rebentos na sua base. Quando estes apresentarem 1/3 do tamanho original da planta ou quando os rebentos semelhantes terminarem de crescer, é preciso cortar as ramificações que se encontram em excesso para que a planta se possa desenvolver com a máxima liberdade.

A correta fertilização da terra

As orquídeas são plantas que exigem uma terra rica em nutrientes e, como tal, necessitam de um solo que esteja corretamente fertilizado. É aconselhável que utilize todo o tipo de fertilizantes orgânicos ou misturas, uma vez que estes garantem os melhores resultados e fazem com que a terra fique o mais fértil possível. Tenha em mente que os fertilizantes não devem ser colocados junto aos bolbos das orquídeas, uma vez que isso pode queimá-los. Eles devem ser aplicados diretamente na terra do vaso onde se encontram as orquídeas. Mais tarde, e de acordo com a irrigação que for feita, o fertilizante vai se dissolvendo e a planta vai absorvendo os nutrientes necessários para o seu crescimento. Tenha em consideração que os intervalos entre as fertilizações devem ser de aproximadamente três meses.

É de destacar que os antúrios e as bromélias florescem mais rapidamente quando recebem um suplemento de potássio. Por outro lado, as flores de phalaenopsis revelam um crescimento mais dinâmico quando são deslocadas para um local 2 ou 3 graus centígrados mais frio que o habitual, até os pequenos botões estarem formados.

A transplantação de orquídeas

A transplantação de orquídeas ocorre na primavera e é realizada com o intuito de manter as respetivas plantas estáveis e saudáveis. Para que a transplantação de orquídeas seja efetuada corretamente, é necessário colocar uma pequena estaca na terra para segurar e auxiliar o crescimento das plantas, até que as raízes destas fiquem bem firmes.

As orquídeas phalaenopsis devem ser transplantadas a cada 2 anos ou quando o fertilizante orgânico se tenha decomposto. Adicionalmente, deve utilizar uma mistura especial de fertilizantes para orquídeas e adicionar cascas de carvalho moídas para uma drenagem suplementar.

No que diz respeito aos antúrios e às bromélias, estes devem ser transplantados a cada 2 ou 3 anos e devem levar um composto à base de folhas, cascas de carvalho e areia especial para horticultura, para que as orquídeas se mantenham sempre vivazes e esbeltas.

Média: 3.9 (18 votos)