Como construir um jardim aromático

Média: 4 (1 votos)

Cultivadas para fins de culinária, medicinais ou simplesmente porque são bonitas e cheiram bem as ervas aromáticas são muito variadas na sua aparência e no seu aroma. Neste artigo vamos aprender a construir um jardim aromático e ficar a conhecer todos os aspetos que interferem com essa tarefa.

Um jardim aromático diretamente no solo

Construir um jardim aromático é simples e para tal basta que disponha de uma parcela de terreno com boa exposição ao sol.

  • Se possível procure que o terreno destinado às ervas aromáticas fique próximo de casa, pois assim será mais fácil proceder à sua colheita e transporte.
  • Pode organizar canteiros circulares, em caracol, em espiral ou quadrados e se quiser demarcá-los opte por pequenas placas separadoras.
  • Se preferir também pode deixar o seu jardim de ervas aromáticas crescer livre e sem delimitações, mas é aconselhável que encontre forma de identificar as diferentes ervas, para que seja mais fácil reconhecer cada uma delas depois de crescidas.
  • Agrupe sempre as ervas semelhantes e tente deixar um espaço livre entre cada espécie de ervas.

Como potenciar as características do solo que irá receber as ervas aromáticas

A única exigência das ervas aromáticas é que o solo seja leve, fofo, poroso, arejado e bem drenado para que possam beneficiar de uma boa circulação de ar e de água.

Para otimizar a qualidade do solo aonde vai plantar as ervas aromáticas pode acrescentar-lhe areia e matéria orgânica a fim de o tornar mais solto. Não plante em solos muito encharcados de água pois terras húmidas e compactas não são indicadas para o plantio de ervas aromáticas.

Pode optar por um jardim plantado em vasos

O plantio em vasos, tal como o feito diretamente no solo do jardim, deve respeitar a exigência de terra seca, leve e porosa com boa drenagem. Uma estratégia indicada para melhorar a qualidade da terra aonde vai plantar as ervas aromáticas em vaso é seguir a seguinte fórmula: 1/3 de areia grossa lavada, 1/3 de adubo orgânico bem curtido e 1/3 de terra comum.

Coloque no fundo do vaso uma camada de cascalho suficiente para cobrir o fundo, será necessária para garantir a qualidade da drenagem. Só depois encha o vaso com a mistura de terra e não esqueça que cada vaso deve conter uma e apenas uma espécie de erva.

A importância das sementes

Para que a colheita seja proveitosa e vá de encontro às suas expectativas escolha sempre sementes de boa qualidade, embora o seu custo possa ser menos convidativo. Sementes de qualidade inferior podem sabotar o aroma e o paladar de toda a colheita.

Assiduidade e intensidade das regas

É proibido deixar o solo encharcado, tirando isso as ervas aromáticas não têm grandes exigências no que diz respeito às regas.

  • Procure regar com maior frequência e durante mais tempo nos meses de maior calor, e nos meses de muita chuva opte por regas esporádicas e apenas em caso de necessidade.
  • Regas muito fartas são sempre de evitar e é melhor que escolha as primeiras horas do dia, ou as últimas da tarde para fazer as regas. Regar durante as horas de maior calor tem um efeito contraproducente, pois ao deixar as folhinhas tenras das ervas aromáticas molhadas em baixo do sol provocará a sua secagem devido ao aquecimento da água.
  • Tenha mais atenção à necessidade de rega durante a etapa de desenvolvimento das ervas aromáticas.

Adubação das ervas aromáticas

Tal como os outros tipos de culturas, também as ervas aromáticas beneficiam do uso de adubos para fertilizar o solo que servirá de alimento às plantas em crescimento. Pode escolher entre compostos orgânicos obtidos a partir de elementos naturais, ou compostos químicos feitos à base de potássio, nitrogénio e fósforo.

Os compostos orgânicos devem ser incorporados na terra cerca de 30 dias antes do plantio, já os compostos químicos são mais aconselhados para o acompanhamento e manutenção. 

Doenças e pragas infestantes

Por norma todas as ervas aromáticas são muito resistentes às vulgares pragas e infestações que acometem as variedades agrícolas. Sempre que detetar a presença indesejada de insetos pode combatê-los usando uma calda de fumo, e se notar lagartas nas suas ervas aromáticas retire-as manualmente ou atraia-as de noite espalhando cascas de chuchu ou de abóbora por cima ou perto dos canteiros. Como medida preventiva também é possível aplicar calda bordalesa para evitar o ataque de algumas doenças.

Elimine plantas e ervas daninhas sempre que necessário e mantenha os canteiros ou vasos livres de folhas e galhos secos.

Que ervas aromáticas escolher para plantar?

A escolha das ervas aromáticas depende da finalidade a que se destinar a sua produção.

Se estiver a pensar usar a sua colheita para fins de culinária então o mais acertado será plantar as ervas que tem por costume consumir. Cerefólio, salsa, coentros, manjericão ou alfavaca, hortelã, cebolinho, pimenta-malagueta, orégãos, entre outras podem ser escolhas acertadas para quem pretenda consumir nos cozinhados as ervas aromáticas que cultivar.

Já a sálvia, a erva-doce, a camomila, o alecrim e a erva-cidreira são mais indicadas para os apreciadores de chás ou doçarias.

Convém dizer que todas estas ervas aromáticas são perfumadas e muito bonitas à vista, podendo também serem plantadas apenas com finalidade estética e ornamental.

Qual a melhor altura para colher as ervas do meu jardim ou vasos?

Não espere muito até proceder à colheita das suas ervas aromáticas. Saiba que as folhas mais jovens e tenrinhas conservam muito mais paladar, aroma e propriedades medicinais do que as plantas com folhas mais maduras.

O ideal será que colha as suas ervas ainda antes de florescerem, pois nessa etapa do desenvolvimento perderam já algumas das suas boas propriedades, adquirindo até um paladar mais azedo.

Uma dica interessante é saber qual a melhor altura do dia para colher as ervas aromáticas: tente fazê-lo sempre durante a parte da manhã. E porquê? Porque é nessa altura do dia que os óleos responsáveis pelo aroma e sabor das ervas aromáticas se encontram mais concentrados na planta.

Espere até que as gotas de orvalho sequem nas filhinhas e antes que os efeitos do sol se comecem a fazer sentir aproveite para colher as ervas aromáticas que precisar. Para colher as ervas recorra a uma tesoura, faca ou até mesmo com a mão em movimentos delicados e secos.

E como fazer durante os frios meses de inverno?

Se vai plantar as suas ervas aromáticas em canteiros de jardim procure aquelas ervas que resistem bem ao frio e à chuva, e que podem permanecer no solo durante todo o ano.

Algumas espécies de ervas aromáticas necessitam de ser envasadas aquando da aproximação do inverno e colocadas a resguardo das intempéries, só podendo regressar ao solo com a chegada da primavera.

Se por acaso alguma das ervas aromáticas da sua preferência não se der bem com a exposição ao frio do inverno, não é por isso que terá de deixar de a plantar no seu jardim. Apenas terá que ter o cuidado de a transplantar para um vaso e ela ficará a salvo até ao próximo ano.

Simples de conceber, fáceis de cuidar e com resultados visíveis em poucas semanas os jardins de ervas aromáticas são uma possibilidade ao alcance de todos nós. Quer percebamos de jardinagem, ou sejamos completamente leigos na matéria a verdade é que as ervas aromáticas carecem de tão poucos cuidados, e revelam-se tão bonitas e perfumadas que todo o esforço valerá amplamente a pena.

Média: 4 (1 votos)